NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

sábado, 5 de agosto de 2017

ESTAMOS EM TEMPO DE FIGOS - COMO PLANTAR UMA FIGUEIRA ATRAVÉS DE ESTACA


Introduzo aqui à laia de cabeçalho uma forma de plantar a figueira através do rebento(gomo) ou ESTACA que depois de aberta a cova se juntavam 4 ou 5 folhas de pitas ainda verdes perto do gomo plantado (não directamente em contacto) para lhe dar mais fresquidão no início do seu enraizar. O estrume de galinha de  animais é essencial e não deve ser utilizado em excesso dentro da cova onde se planta a ESTACA tenra da figueira que queremos que nasça. Eu plantei duas ou três uma delas lampa que se formou rapidamente.


António Garrochinho

pretos, lampos ou vindimos, frescos ou secos, quem ainda não ouviu falar deste fruto tão apreciado dos portugueses? Já há figos nas figueiras e aproxima-se uma das épocas indicadas para plantar a árvore
A figueira (Ficus carica L.) é uma das árvores fruteiras características da região mediterrânica. No nosso país, o cultivo da figueira é muito antigo e remonta ao tempo da invasão da Península Ibérica pelos árabes, que foram dos primeiros povos a cultivar esta planta. A figueira encontra-se distribuída de Norte a Sul do País, com mais expressão no Algarve, Trás-os-Montes, sobretudo na região de Mirandela, e em certas zonas do Alentejo e Ribatejo.
Os figos podem apresentar diferentes tonalidades, mas os mais usuais são os "brancos", com diferentes tonalidades de pele que vão do esverdeado ao amarelado, e os "pretos", com tons mais ou menos violáceos a negros. Quando os figos crescem em ramos do ano anterior e a sua maturação ocorre pelo final de Junho/início de Julho, são figos lampos; por sua vez, quando frutificam em ramos do ano e a maturação ocorre a partir de Agosto até às primeiras chuvas, são figos vindimos. Há variedades que produzem só um destes tipos (uníferas), enquanto outras produzem figos lampos e vindimos (bíferas).
Os figos podem ser consumidos em fresco ou secos. Os frescos são muito ricos em água (cerca de 80% do seu peso), fornecem 70 kcal por cada 100 g e são uma fonte importante de algumas vitaminas (A, C e B6), carotenos, ácido fólico, fibras, potássio, ferro, cálcio e fósforo.
Se aprecia estes frutos, porque não plantar uma figueira no seu jardim, quintal ou outro espaço que tenha? Aqui ficam algumas sugestões.
Onde obter uma figueira?
A figueira multiplica-se por estaca. Nos viveiros e centros de jardinagem é possível encontrar figueiras de diferentes variedades. Escolha uma variedade de origem portuguesa e, de preferência, regional, que se encontra bem adaptada localmente e ajuda a preservar o nosso património. Se gosta de figos brancos, a variedade "pingo de mel", pelas suas características de gosto e sabor, é uma das mais apreciadas, mas pode optar também pela "regional branco", "maia", "princesa", "bêbera branca", entre outras. Se preferir os figos pretos, escolha entre "lampa preta", "regional preto", "bêbera preta" ou "borrasota tradicional", dependendo da região.
Quando e como plantar?
A melhor altura é em Setembro/Outubro ou Março/Abril, dependendo da região em que se encontra, de forma a fugir do risco de geada, fenómeno ao qual a planta é muito sensível.
Ao escolher o local para plantar a árvore, tenha atenção que a figueira gosta de solos profundos, bem drenados e pouco ácidos. Apesar de bem adaptada a climas quentes e secos, é sensível à falta de água. Faça uma cova onde caibam as raízes, coloque dentro algum estrume e introduza a planta. Tape a cova e aconchegue a terra à sua volta e regue abundantemente.
Que cuidados de manutenção necessita?
É uma árvore de fácil adaptação, mas extremamente sensível às geadas de finais de Inverno e início de Primavera. Deve fertilizar com um adubo composto, de preferência orgânico, mas não em excesso, porque compromete a qualidade dos frutos. Regar durante o Verão.
A poda deve ser ligeira e corrigir a tendência que os ramos têm de cair em direcção ao solo com o peso dos frutos. Por outro lado, se pretender ter figos lampos, não pode esquecer que a sua frutificação ocorre nos ramos do ano anterior, pelo que não devem ser todos podados.
Temos de ter algum cuidado com as doenças fúngicas que possam surgir, como a antracnose, aplicando um fungicida, quando necessário. No final do Inverno, é usual a aplicação de calda bordalesa ou outro produto à base de cobre. De entre as pragas que atacam a figueira, a mosca da fruta, a mosca negra do figo e a cochonilha da figueira são as principais, justificando a aplicação de um insecticida sempre que necessário. Atenção: se aplicar algum pesticida, não se esqueça de respeitar as doses indicadas e os intervalos de segurança para que possa comer figos sãos e seguros.
Algumas aplicações na medicina tradicional
Em Junho e Julho pode apanhar folhas de figueira sãs, secá-las à sombra e depois pode utilizá-las para fazer infusões, às quais são reconhecidas propriedades anti-helmínticas, e são também usadas no tratamento de dermatites e hemorroides. Aos frutos têm-lhes sido atribuídas propriedades anti-tússicas, anti-carcinogénicas e para o tratamento da diarreia. O látex, que escorre quando se destacam as folhas ou frutos verdes, é usado no tratamento de verrugas e dermatites.
Engenheiro Agrícola e da Associação Portuguesa de Horticultura (APH)
www.publico.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário